CURIOSIDADE #37 – TIPOS DE FUNDAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL: SOLIDEZ E SEGURANÇA PARA A EDIFICAÇÃO

A partir da criação do projeto da obra, é preciso definir a parte estrutural e a escolha do sistema de fundação (rasa ou profunda), o que garantirá a solidez, vida útil e segurança para a edificação. O tipo de solo, carga, local e os equipamentos disponíveis são pontos que interferem diretamente nesse processo.

A etapa de fundação é uma das mais importantes. Quando não executada corretamente, acarreta em prejuízos financeiros, visuais e no próprio desempenho da obra. As fissuras, trincas, rachaduras e deformações, na maioria das vezes, decorrem de erros na realização das fundações.

As fundações são divididas em dois tipos:

Fundações rasas ou superficiais
Essa categoria não demanda equipamentos de grande porte e são executadas já nas primeiras camadas do solo. As sapatas, vigas de fundação ou baldrame, radier e blocos são os quatro tipos de fundações rasas.

Feita de concreto armado, as sapatas são projetadas para sustentar o peso da construção em solos firmes e de boa resistência. As vigas de fundação ou baldrames percorrem todo o comprimento das paredes da construção, geralmente retangulares e moldadas no local. Já o radier é uma laje de concreto que fica em contato direto com o solo, indicado para os sistemas estruturais leves e em obras de pequeno porte. Por fim, os blocos são peças robustas de concreto e que não demandam armaduras, pois conseguem superar as tensões de tração.

Fundações profundas
Como o próprio nome sugere, são executadas nas camadas mais profundas do solo. Necessitam de aparatos e equipamentos de escavação. São divididas em: estacas, tubulões e caixões.

As estacas podem ser cravadas ou perfuradas e são feitas de materiais diversos, como: aço, madeira, concreto, ou ainda, serem pré-moldadas ou moldadas in loco. Os tubulões são mais usados em pontes, viadutos ou obras de grande porte, são revestidos em aço ou concreto, com base alargada ou não. Em formato prismático, os caixões são concretados na superfície do terreno e instalados por escavações internas.

Conclusão
É a partir desses modelos de alicerces que as obras são sustentadas e permanecem “em pé” no lugar. Por isso, é fundamental conhecer cada tipo de fundação e definir qual a melhor para o seu projeto, contando sempre com o apoio de um profissional qualificado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *